72 Comentários

  • CHARLES DOS SANTOS BRASIL
    CHARLES DOS SANTOS BRASIL

    Obrigado Profa. Berenice por nos apresentar a Palestina com um toque de Amor.

  • Tânia Mara Campos de Almeida
    Tânia Mara Campos de Almeida

    MATERIAL FOTOGRÁFICO IMPRESSIONANTE!
    Sensível, forte e denunciante.

      • Lorena Freitas - UFPB
        Lorena Freitas - UFPB

        É fundamental olhares como o seu, profa Berenice, fazer divulgar esta questão, porque há um imensa guerra cultural e propagandas que aos olhos gerais parece que Israel é a vítima e ninguém dá voz a Palestina.

  • RONALDO COUTINHO GARCIA
    RONALDO COUTINHO GARCIA

    Sensibilíssimo relato, revela o fascismo israelense, com a atualização das técnicas nazistas. Chocante realidade que se agrava célere. Os últimos dias confirmam

  • Augusto Lima
    Augusto Lima

    Em plena pandemia, no recanto tranquilo de minha casa, leio os textos e vejo as fotos… Nos sites as notícias do mais novo massacre israelense contra o povo palestino… Meu corpo também treme e meus olhos estão ensanguentados… Como podem viver diante de tudo que sofrem há tanto tempo??? Meu respeito, admiração e carinho pelo povo palestino, que continua a resistir!!! Obrigado Berê! Ato de coragem e solidariedade com a beleza e força que você sabe fazer!

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Meu amigo-camarada Augusto, muito obrigada. Eu tive escola política e muitas pessoas que por lá passaram me inspiram. Você, meu amigo de sonhos por muito mais justo, bonito e alegre (viva o samba!) faz parte de minha vida, de minha formação como humana. Saudades da porra!

  • Andréa Vettorassi
    Andréa Vettorassi

    Fiquei comovida com a exibição e aprendi muito. Obrigada por essa generosa partilha. Um carinhoso abraço que envio de terras lusitanas!

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Muito obrigada, minha querida. Por uma triste coincidência, a exposição ficou pronta quando está em curso mais um massacre. Dados de hoje: 83 (sendo 17 crianças e 07 mulheres) palestinos assassinados, 365 feridos. Sofrimento sem fim.

  • Larissa Pelucio
    Larissa Pelucio

    Querida Bere, sensível, oportuna e necessária essa exposição, fragmentos que humanizam, criando fissuras nesse inaceitável muro, nesse vergonhoso cerco. Tuas fotos são como crônicas.

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Larissa, minha amada, muito obrigada pela visita e comentários. Nós somos dessas: fissuramos o mundo, né, minha Diva?

  • Nelma de Cabral
    Nelma de Cabral

    Salve, salve pelas imagens e textos impressionantes – delicadezas de seu olhar e de sua escuta para nos apresentar a dor, a resistência e a força de afirmação da vida de um povo. Impossível não ser afetada pelo sofrimento dos palestinos, sua luta e suas alegrias. Grata, Berenice

  • Luiz Paulo Moita Lopes
    Luiz Paulo Moita Lopes

    Obrigado, Berenice, por me enviar a sua exposição “Palestina, meu amor”. Esse é o momento certo de lembrar do sofrimento dos palestinos. Que as terras palestinas sejam devolvidas aos povos palestinos! Espero te conhecer pessoalmente, Berenice, num futuro próximo. Compartilhamos o mesmo amor-politico.

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Obrigada pela visita e comentário, Luiz. Que as terras palestinas voltem para as mãos do seu povo!

  • Ana Luiza Avellar Netto
    Ana Luiza Avellar Netto

    Profa. Berenice,
    Fiquei impressionada com as fotos e com o texto, sensível e bem cuidado. E fiquei emocionada com os relatos. É uma exposição necessária e urgente. Obrigada por compartilhar essa experiência de conhecimento, de dor, de denúncia. E também uma experiência de muito amor. Obrigada.

  • Stella-Lizarra
    Stella-Lizarra

    Como sempre, seus mergulhos servem para nos revelar aquilo que muitos procuram esconder ou não ver. Gesto audacioso e necessário. Parabéns!

  • Muna Ahmad Yousef
    Muna Ahmad Yousef

    Muita gratidão por apresentar seu olhar amoroso. A Palestina necessita mesmo de amor e justiça.

  • Eda Nagayama
    Eda Nagayama

    Berenice amada, precisei de dias para conseguir “voltar” à sua/nossa Palestina, “de corpo tremendo e sangue nos olhos”, hoje misturado às lágrimas diante da injúria e inaceitável brutalidade da colonização, da “autorização” da comunidade internacional assistindo de camarote, apoiada por Biden ao dizer que “Israel tem o direito de se defender”.

    Hala, em Yanoun, me escreve: “Actually the situation in West Bank is terrible and I think it will be worse”.

    Gratidão pela exposição, tão necessária, de tanta sensibilidade.
    Obrigada por quem é no mundo.

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Eda, minha amiga, que saudades da nossa Palestina, das nossas conversas em Belém, em Jerusalém e na comovente Yanoun. Quero voltar, preciso voltar. Ojalá que possamos voltar juntas, as desgarradas do mundo. Muito obrigada por tudo sua amiga. Saudades imensas.

      • Eda Nagayama
        Eda Nagayama

        Inshallah, minha amada! Também quero voltar! Admiração, carinho e saudades – sempre imensas! Estamos juntas!

  • Ana Liési Thurler
    Ana Liési Thurler

    Querida Berenice,
    Obrigada por aqui no Brasil, aqui em Brasília, forte e atentamente, lembrar quanto a Nakba continua por mais de sete décadas e aí está ainda hoje, com o sacrifício, a morte de [email protected] pelo sionismo.
    Admiração e respeito pela guerreira que você é. Palestina livre!
    Abraço forte.

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      minha querida Ana Liési, isso mesmo…73 anos de colonialismo. O povo palestino já sofreu demais!! Chega. Obrigada pela visita e pelo comentário.

  • Márcia Paschoal

    “O mundo civilizado que deixa matar, deixa morrer. Tantos.”
    Eda Nagayama, em YASER

    Que ‘sufocante’ recolhas em imagens & textos… tocante exposição Berenice Bento. Sempre urgentes, não?
    Abro o texto com Eda, pois foi à partir dela e de ‘YASER’ que mais me aproximei das brutalidades, violações e desunanidades na Palestina.
    Acompanhei a live ‘Mulheres na Palestina’ pela página da DESACATO e outras contra o processo genocida de Anexação.
    Interessante a sua reflexão, entre outras, sobre o termo “prisão à céu aberto” eu própria já usei muito, mas você trouxe uma outra realidade à partir das vivência lá e é sempre urgente denunciar o que as histórias contadas omitem, confundem e “varrem para baixo do tapete, para trás das barreiras, das cercas, dos muros altos, como faz Israel com os Palestinos. Outro tipo de inferno.” Eda Nagayama

    Sua exposição vai instigar em mim, mais de um comentário, mas fica aqui minha gratidão. Parabéns!
    Márcia Paschoal

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Márcia, muito obrigada pela visita e comentário. E, sim, YASER de Eda Nagayama é uma obra-prima. Um forte abraço.

  • Eduardo Amorim
    Eduardo Amorim

    Brilhante trabalho, professora!
    Seu documentário é genial e emotivo – fui às lágrimas sem ter relação nenhuma com a causa palestina…
    A luta contra a opressão é uma luta de toda a Humanidade!
    “Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros…” (Che Guevara)

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Meu amigo amado, que saudades! Muito obrigada pela visita. Nós, defensores dos direitos humanos, não limitamos nossa indignação às fronteiras nacionais, não é? Bjs.

  • Regina
    Regina

    Achei a exposição educativa e,portanto, bonita, embora o conteúdo seja assustador. Parabéns professora. Perpetue esse modelo!

    • Flavio joão Adulai Bari

      Exposição interessante,para o presente artigo e sicializa parte de uma pesquisa mais ampla que analisa a relação entre pesquisadores acadêmicos de conhecimento científico em seu movimento de vida uma trajetória dentro e fora das universidades.

  • Luiz Assunção
    Luiz Assunção

    Berenice, obrigado por nos colocar mais próximos da questão palestina. Não tenho palavras diante de tanto horror.

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Querido Luiz Assunção, muito obrigada pela visita e comentário. Sim…horror…é a melhor palavra.

  • Schabib Hany

    Obrigado, Professora Berenice Bento! Embora seja de ascendência árabe (meu saudoso Pai, libanês, e minha querida Mãe, boliviana filha de libaneses e sírios, porque quando emigraram o Líbano ainda não tinha sido criado pela França, que colonizava, entre outros países árabes atuais, a Síria e o Líbano), e meu Pai tivesse percorrido de norte a sul a Palestina entre 1935 e 1939, eu e todo(a)s o(a)s Irmão(ã)s nunca estivemos nos territórios descontínuos que sobraram da Palestina milenar.
    Foi o Professor Tiago Duque (da UFMS) que me deu a honra de conhecer sua genial e emocionante manifestação de solidariedade, palpitante, humana e, sobretudo, impactante. Devo, pois, a ele a oportunidade de conhecer a senhora e sua sensibilidade cidadã como cientista que trabalha para a evolução das condições de vida entre seres humanos neste planeta cada vez mais dominados por seres bizarros, cultores da opressão e da cobiça.
    Emocionante seu registro. Elucidativo seu texto. Lindamente oportuno seu gesto de profunda sensibilidade, solidariedade e indignação cidadã.
    Obrigado, obrigado, obrigado!

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Estimado Schabib, suas palavras gentis me tocam profundamente. Muito obrigada. Palestina será livre!

  • Irineu Tamaio
    Irineu Tamaio

    Prezada Profa. Berenice,

    Minha gratidão por essa oportunidade rara de aprendizado e sensibilidade com os oprimidos. Quero te parabenizar por expor de forma clara, com dimensão humana e solidária, o genocídio do povo palestino por um Estado racista, que promove o apartheid e não aprendeu nada com a História.

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Muito obrigada pela visita e pelas palavras carinhosas, Irineu. Um dia, o sionismo será derrotado e a Palestina será livre.

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Muito obrigada, Fábio Bosco. Tenho profunda admiração pelo teu engajamento permanente em defesa da vida e justiça. Um forte abraço.

  • Natascha Staack
    Natascha Staack

    E a Palestina 🇵🇸 continua a gritar diante do silêncio conivente mundial!! Parabéns pela exposição!

  • Sayid Marcos Tenório

    Excelente exposição, com fotos e textos que revelam a dura forma de vida do povo palestino sob o apartheid de Israel. E o evidente desejo/dever de resistência contra essa opressão. A Palestina e o seu povo nos dão demonstrações diárias de que a resistência por todos os meios é o caminho da libertação. Parabéns, profa. Berenice.

    • Berenice Bento
      Berenice Bento

      Meu amado Sayid, muito obrigada pelo comentário. Nós fazemos parte dessa imensa e global família chamada “internacionalistas”. E, sim, veremos a Palestina livre. A injustiça não durará para sempre!

Deixe um comentário para Stella-Lizarra Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *